Investimentos Conservadores: Ensinamentos de Philip Fisher

Quando falamos em Investimentos Conservadores lembramos, de cara, de Philip Fisher. Considerado um dos maiores investidores da história, Fisher é um entusiasta dos investimentos conservadores, tendo ditado muito das regras existentes na filosofia do compra-e-guardar.

  1. marketing;
  2. pessoas;
  3. diferencial competitivo;
  4. valuation.

Todos estes ensinamentos estão presentes na obra Conservative Investors Sleep Well (Investidores Conservadores Dormem Bem). Vamos passar por cada uma delas e fazer alguns comentários sobre estas dimensões:

Conteúdos do Post 🙂

Dimensão Marketing:

Fisher gasta um tempo razoável procurando por grandes times de marketing e relevante força de vendas. Uma companhia com marketing forte é aquela que está sempre pronta a responder as necessidades dos seus consumidores fornecendo aquilo que eles estão precisando hoje, e não aquilo que eles precisaram ontem.

Isso quer dizer que elas conseguem esclarecer as dúvidas e solucionar os problemas dos consumidores em tempo reduzido. Significa também que a companhia é capaz de manter seus consumidores cientes das vantagens de seus produtos e serviços.

Aliado a dimensão do marketing, Fisher procura por companhias que fazem investimentos na pesquisa de novas tecnologias e tendências de mercado. As novas tecnologias normalmente oferecem oportunidades de se produzir coisas novas e com menor custo. Destaca-se, neste ponto, a importância do trabalho em equipe entre marketing e tecnologia para assegurar que seu trabalho esteja alinhado com aquilo que o mercado está demandando.

Ainda na dimensão do marketing, Fisher utiliza habilidades financeiras para avaliar se a companhia conhece seu custo total de fabricação para determinado produto (incluindo custos de marketing, propaganda, transportes, etc). Segundo Fisher, se não fizer isso, “ela não saberá onde focar para conseguir ganhos máximos e não conseguirá encontrar os gargalos de produção dos processos”.

Dimensão Pessoas:

Além disso, Fisher destaca que “é também importante criar um ambiente de trabalho que faça com que os trabalhadores de todos os níveis achem a companhia um bom lugar para se trabalhar”.

A afirmação possui uma lógica bastante atual: se os trabalhadores estão felizes com seu lugar de trabalho, eles tendem a desempenhar suas atividades com o maior afinco possível, indicando seus serviços para conhecidos e praticando o famoso marketing “boca-a-boca”.

Dimensão Diferencial Competitivo:

A terceira dimensão avaliada por Fisher para investimentos conservadores foca em saber se a companhia é capaz de fazer certas coisas que outras não conseguem fazer tão bem. O famoso Diferencial Competitivo tão frisado por Warren Buffett.

O foco aqui é se o negócio possui certas características inerentes que lhe permitam uma lucratividade acima da média, não apenas no presente, mas também no futuro. Fisher avalia também a probabilidade destas características em se manter vivas ao longo dos anos.

Fisher defende também que parte do fluxo de lucros ganho pela companhia deverá ser empregado em atividades como pesquisa e desenvolvimento, testes de marketing, marketing de novos produtos, e todos outros custos operacionais necessários para expandir o negócio.

E os fracassos? Também são lembrados por Fisher. Embora todos nós desejemos obter sucesso, temos que atentar para o fato que isso pode não acontecer, seja em nossos investimentos, seja nas previsões de lucros e receitas das companhias. A companhia deve estar apta a financiar, sobreviver e aprender tanto com seus sucessos quanto com seus erros.

Dimensão Valuation:

A quarta dimensão de Fisher se relaciona com a valuation. Fisher coloca o risco básico de todos investimentos em uma escala e os classifica da seguinte forma:

Na parte inferior da escala estão aquelas companhias que se saíram muito bem nas três primeiras dimensões e que não são muito bem consideradas pela comunidade financeira. As menos arriscadas, e priorizadas no momento da compra, são aquelas companhias que se saíram bem nas três primeiras características e estão sendo comercializadas em linha com as suas características fundamentais.

Um passo adiante desse grupo estão aquelas companhias que são igualmente fortes nas três primeiras dimensões, mas não são muito bem vistas pela comunidade financeira e que aparentam estar subavaliadas.

Fisher acredita que esse tipo de investimento se enquadra melhor em “manutenção” do que como “compra”. A maior razão para ele acreditar que vale a pena manter é que seus fundamentos ainda são genuinamente fortes, então através dos tempos eles provavelmente irão aumentar seus lucros de tal forma que justifique não apenas os preços correntes, mas também preços maiores.

Abaixo desses três grupos estão quaisquer companhias que não se enquadram nos critérios de Fisher. Ele nos lembra que você não poderá, sob hipótese alguma, fazer um investimento inteligente em uma companhia medíocre se você a estiver comprando para o longo-prazo.

Investimentos Conservadores – Conclusão:

Os ensinamentos de Philip Fisher são praticamente um guia a ser seguido por investidores que primam por investimentos conservadores e pelo value investing.

Sua obra Conservative Investors Sleep Well (Investidores Conservadores Dormem Bem) é uma das obras mais conceituadas do mercado ao longo da história e merece ser um livro para os investidores fundamentalistas manterem na cabeceira da cama.

Para finalizar, deixamos abaixo o convite para uma aula online onde ensinamos as técnicas dos grandes investidores da história (Philip Fisher, Benjamin Graham, Warren Buffett, etc). Nesta aula online (e gratuita) você aprenderá a investir como um grande investidor:

AULA ONLINE: Aprenda com a Sabedoria dos Maiores Investidores do Mundo!

Por hoje era isso, pessoal.

Espero que tenham gostado do artigo.

Grande abraço e até a próxima!